Haze

"Cinza"

[Letra de: "Cinza"]

[Intro]
Salva a vida contra o corpo

[Verso 1]
Salva a vida contra o corpo
Onde durmo sobre o mundo nada existe daquilo que fomos
Quinze noites p'ra Saturno e conto o dobro para a morte
Sob o hábito do teu toque no qual moldo o meu sufoco
(O que me dás é pouco)
Fica com a razão toda
Enquanto eu ardo a tua boca quer que o coração morra
Brilhantes no papel enquanto amantes, atores, putas
Ser ou não ser a terra onde as tuas flores murcham?
Saber a minha dor? Foda-se
Quando ris, o trono volta-se vives triste, amor nota-se
Pugnas ao luar, somente eu e Prometheus
Eu só vim cobrar tudo aquilo que Deus me prometeu
E tu juras vir mais tarde
Seres capaz de me afogar e renascer em Asgard
E eu de corpo inteiro aceito me afundar nos teus lugares
Ou partilhar o espaço de um apartamento a pares

[Refrão]
E eu de corpo inteiro aceito-me afundar nos teus lugares
Ou suc*mbir no espaço de um apartamento a pares
E eu de peito inteiro aceito-me afundar meio dos braços
Onde teimo em encontrar algo que não existe mais
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Copyright © 2018 Bee Lyrics.Net