​xtinto

"​sinope"

[Verso 1: xtinto]
Ansiedade viraliza
Assim que eu vir a lisa
No fim da vida vira
A contracapa noutra data
Que ela cicatriza
Sina é chaga intrínseca
Afim da vaga eu disse que a
Morte é sorte
Nesta vida indígena
E diz que na dica ou rima
Acima eu fiz-te fã
Krishna Murti nesta multi
Que não viste sã
Vísceras de fora
Enquanto o bicho mas devora
Vim do lixo mas decora
Que o meu nicho faz-te cólera, Polaroid
Impressão instantânea do teu tropa só que

Topa só que
Ele disse “ele é o rei” e nem sou Onda Choc
Olha a onda soçe
Sou Civic até que o Honda choque
Songamonga cospe nesta sh*t
Até virar negócio
Oh se o meu fado um dia acaba com o meu ócio, sócio
Posso vir a virar o meu boss bruto
Tosse puto, toseina em dose anima as hostes dos hóspedes
Esculpida a sinopse à Diógenes de sinope
Eu 'tou Sinel de Cordes
Humor negro nesta posse
, fiel ao deboche
Tumor tento dar o corte num bordel um coche
Turbulento neste acorde e sem prova aposto
Cova a postos
No meu ADN o vinho corre a potes
Porra podes tocar a sirene que isto é só barrotes
Só pagodes
Nesta diocese feita só para gods
Só capotes
Beats dilacero espero só que anotes
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Copyright © 2018 Bee Lyrics.Net