Djonga

"Saudação Malungo (Remix)"

[Letra de "Saudação Malungo (Remix)" com Luedji Luna e Djonga]

[Refrão: Luedji Luna]
Malungueiro, malungá
Bacongo, cabinda, uigê
Luba, Lunda, bengela, zairê
Quicongo, tradição

Imagens que pintam de lá
Meus parentes agudá
Minha laia, minha gente
Irmandades, confraria, malungá

[Verso 1: Luedji Luna]
Na tumba, tumbeiro não
Não sou marinheiro na barca furada
Sou malungueiro de partida à chegada
Kizumba, zumbi, kizumba, zumbi, kizumba, zumbi

Na tumba, tumbeiro não
Não sou marinheiro na barca furada
Sou malungueiro de partida à chegada
Kizumba, zumbi, kizumba, zumbi, kizumba, zumbi, kizumba, zumbi

[Refrão: Luedji Luna]
Malungueiro, malungá
Bacongo, cabinda, uigê
Luba, Lunda, bengela, zairê
Quicongo, tradição

Imagens que pintam de lá
Meus parentes agudá
Minha laia, minha gente
Irmandades, confraria, malungá

[Verso 2: Luedji Luna]
Da costa brasil adentro
Mandinga e fé
Heranças, danças, tranças
Mafuá, criolo, reinventar
Ao manifesto kincongo, bois caimã
Ao manifesto kincongo, bois caimã

[Verso 3: Luedji Luna]
Marco primeira revolução Haiti
Partiu Trinidad, Suriname, Cuba
Ilhas malunguistas, meus parentes socialistas
Ilhas malunguistas, meus parentes socialistas
Referências malungas sim
Kincongo, kizumba, zumbi
Ê corar, rei do do congo
Nosso mucongo saudar
República primeira Haiti
Tradição malunga

[Verso 4: Djonga]
Já disse: pretos no topo
E eu falava sério
Hoje posso dizer que eu sou exemplo
Minha quebrada na merda
Minha city fora do mapa, mano
Pro meus 'irmão' eu sou exemplo
Não nasci branco pra nascer franco
Não nasci banco, mesmo assim a 'pati' quer sentar
Eu sou elétrico, tenho a minha resistência
Sou dever afrotivo, pondo fim na concorrência
Ganhar dinheiro tipo "Cassino", de Scorsese
Gastar dinheiro tipo "Até que a Sorte nos Separe"
Mano, se drogam, eu penso; "Até que a morte nos ampare"
E a bola de cristal do bom é a taça com Campari
E o morro chora, desespero, ainda tem barro lá
Prefeito diz "Senhor é meu pastor, mas, nada te asfaltará"
Tudo te faltará, se comprometerá pra consumir dose de alegria e não pagará
É "O Homem na Estrada" de todo dia
E, sabe a resposta: "O que é clara e salgada?"
Os mais novos vivem queimando largada
Não sabem ler, nem escrever, e sabem o nome da delegada
Sejamos Abraham Lincoln; independência, com a pele de Barack Obama
Sejamos Tupac Shakur, Afeni Shakur
Achemos a cura pra nossa insegurança
Cada bala de fuzil é uma lágrima de Oxalá
Mas, na rua não é não
Na mão dos cana, não é não
Na cintura era um celular e eles confundiram com 'oitão'

[Refrão: Luedji Luna]
Malungueiro, malungá
Bacongo, cabinda, uigê
Luba, Lunda, bengela, zairê
Quicongo, tradição

Imagens que pintam de lá
Meus parentes agudá
Minha laia, minha gente
Irmandades, confraria, malungá

Malungueiro, malungá
Bacongo, cabinda, uigê
Luba, Lunda, bengela, zairê
Quicongo, tradição

Imagens que pintam de lá
Meus parentes agudá
Minha laia, minha gente
Irmandades, confraria, malungá

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Copyright © 2018 Bee Lyrics.Net